03 agosto 2007

Classic # 7 - Slint – “Spiderland” (1991 Touch and Go)

Dezasseis anos após a sua primeira edição, “Spiderland”, não perdeu nenhum do seu encanto.
É difícil explicar o impacto que este disco teve, porque paradoxalmente, não soa como nada que surgiu antes ou depois da sua edição.
Para mim o parente mais próximo será o trabalho desenvolvido pelos Tortoise e outras bandas “post-rock” onde estiveram envolvidos os antigos membros dos Slint, nomeadamente o projecto posteriormente desenvolvido por Brian McMahan, os The For Carnation. No entanto ”Spiderland” é no essencial música “rock”, mas com um sentido de mistério que escapa totalmente à maioria das “bandas rock”.
Renunciando completamente a tradicional estrutura da canção:”versos-refrão-versos”, os Slint (Brian McMahan, David Pajo, Britt Walford e Todd Brashear) criaram e estratificaram composições densas e atmosféricas, com dinâmicas diversificadas, mas acessíveis ao mesmo tempo.
O seu encanto reside no facto da sua brutalidade ser “brutalmente” subtil.
Uma música poderosamente enérgica e dramática, notória na intensidade das épicas canções.
E reza a história que as gravações foram tão intensas que vários membros da banda tiveram de receber apoio psiquiátrico.
Como exemplo e destaque óbvio, “Good Morning Captain”, a melhor canção do disco, sete minutos e meio estranhamente “assustadores”, que através dos suspiros de Brian McMahan, complementadas pelas guitarras incendiarias em fundo e o ritmo tribal da bateria, evolui até atingir o seu êxtase, quando a canção explode e liberta aquele grito arrepiante “I Miss You”. Aquele momento é um dos mais emotivos pedaços de música que alguma vez ouvi.
É um final extraordinário para um disco extraordinário.

4 comentários:

M.A. disse...

Assim não vale!!!
Desta vez foste tu a "roubar-me" um post programado :)
Costumo geralmente comparar o estatuto deste GRANDE disco ao de "Daydream Nation": apesar das magras vendas à data da sua edição, deixaram uma marca indelével na MÚSICA que saiu nos anos seguintes.

Abraço

P.S.: O que tenho lido sobre o novo The For Carnation já me deixou a salivar. Vou já ao site da Touch&Go ver se consigo ouvir alguma coisa

Joao disse...

um grande disco, de uma excelente banda. ou vice-versa...
faz parte dos manuais de rock.. pelo menos para quem ouve música, sem ser pelos números de vendas...

Kraak/Peixinho disse...

Eu ADORO este disco! Há dias atrás voltei a ouvi-lo!! :)

Kraak/Peixinho disse...

Olha, e o 'Millions Now Living Will Never Die'? GOD!